PASSARO – Clean Sky 2

A dBwave.i colabora com o ISQ, no projeto PASSARO (Capabilities for Innovative Structural and functional testing of aerostructures), efetuando ensaios acústicos.O projeto PASSARO, arrancou em julho e tem como objetivo desenvolver e testar materiais, de forma a integrar tecnologias inovadoras que permitam melhorar a segurança, a eficiência e a sustentabilidade das aeronaves. Este projeto foi aprovado no âmbito do programa de financiamento Clean Sky 2, uma parceria público-privada entre a Comissão Europeia e empresas europeias do setor aeronáutico.
A Caetano Aeronautics, o ISQ, o INEGI e a AERTEC são os atores principais deste consórcio. O PASSARO foi promovido pela AeroCluster Portugal que cria, pela primeira vez, uma rede nacional de competências integradas e complementares para desenvolver, a nível europeu, aero-estruturas multifuncionais e inteligentes, tendo o projeto PASSARO sido selecionado entre os melhores consórcios a nível Europeu com um financiamento de 4,5 milhões de euros.
O ISQ realizará diversas atividades de Teste e Inspeção durante o desenvolvimento de novos materiais compósitos visando uma maior resistência ao impacto e acústica, promovendo a segurança de aeronaves e o seu conforto ergonómicos e de ruído.
Durante o desenvolvimento do projeto, os testes preliminares e de caraterização de propriedades mecânicas e acústicas são assegurados pelo Laboratório de Materiais e pela dBwave.i (Grupo ISQ). Os estudos de ergonomia e reverse engineering ficam a cargo da Saúde Ocupacional (Grupo ISQ) e do Laboratório de Metrologia. O acompanhamento e validação do desenvolvimento de um novo sistema de Structural Health Monitoring (SHM) é da responsabilidade do Laboratório de Ensaios Não Destrutivos. O Grupo ISQ contribui ainda na implementação de metodologias de eco-eficiência na produção e fabrico de componentes aeronáuticos.
Numa segunda fase serão realizados testes como colisão de aves, queda de raio e compatibilidade eletromagnética e isolamento sonoro, para avaliação final destes novos materiais já integrados no demonstrador à escala real, apenas possível através do trabalho e esforço conjunto do Laboratório de Compatibilidade Eletromagnética e das áreas acima mencionadas.